21.2.11

Novidades no blog!

Queridos leitores,

Como vocês devem ter percebido, o blog Mediar Conflitos foi reformulado e ganhou um novo endereço: www.mediarconflitos.com. Agora, apenas a parte inicial das postagens será encaminhada por e-mail para os assinantes e, caso vocês gostem (esperamos que sim!), basta clicar no link “Leia o texto completo” e vocês serão direcionados ao nosso site. Essa visita é muito importante, pois assim vocês poderão acompanhar sistematicamente todas as novidades que preparamos:

20.2.11

A mediação na TV

A mediação de conflitos ingressou nas séries de televisão. Há um mês estreou “Fairly Legal” no canal norte-americano USA Networks (ver vídeo abaixo), uma história sobre Kate, advogada frustrada com o sistema legal que resolve se tornar mediadora. Essa nova profissão representa o diferencial do programa.

Michael Sardo, criador da série, revelou que escolheu o tema da mediação pelas experiências vividas por seus amigos que estavam se divorciando: “Todos começavam de forma amigável, sabendo que se tratava apenas de dividir as coisas e que não haveria problema. No entanto, em algum ponto da separação, no momento em que entravam os advogados, era guerra”. Então, quando viu alguns casais se divorciando com mediadores, conseguindo conversar e encontrar soluções, Sardo começou a se interessar pela mediação.

Para os que não esperam questões muito aprofundadas sobre o tema, “Fairly Legal” pode ser um bom entretenimento. Entretanto, alguns aspectos chamam a atenção quanto ao contexto da mediação e ao desempenho da mediadora.

11.2.11

O crescimento do campo da Mediação


Lembro quando iniciei este blog e o outro, “Gestão de Conflitos Familiares”, em 2006, como eram raras as notícias sobre mediação de conflitos no Brasil. Eu tinha que traduzir as notícias vindas de outros países para postar nos blogs. Com o tempo, no entanto, para minha grata surpresa, o assunto “mediação” foi crescendo e hoje é rara a semana que não tenha algum evento envolvendo essa prática em nosso país.

Na área acadêmica, o interesse pela mediação também vem aumentando e são elaborados trabalhos muito interessantes sobre o tema. A leitora Ana Lucia Prado Catão deixou um comentário na postagem “A sensibilidade de nossos juízes” no qual compartilha um link (ver abaixo) para a sua dissertação de mestrado, intitulada “Mediação e Judiciário: problematizando fronteiras psico-jurídicas”, ressaltando o respeito aos direitos autorais.

10.2.11

A sensibilidade de nossos juízes


O Observatório Permanente da Justiça Portuguesa (OPJ), do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, considerou que a legislação sobre o divórcio tem tido sua aplicação complicada por culpa da má formação dos magistrados, sobre questões estruturais da sociedade e do sistema jurídico.

De acordo com o diretor científico do OPJ, Boaventura de Sousa Santos, “os magistrados refugiam-se em interpretações positivistas e burocráticas e não olham para as pessoas e apenas para a lei”. Acrescenta, ainda que “os tribunais tornam-se parte do problema e não da solução e correm o risco de serem agentes violadores do direito”, afirmando que os juízes fixam-se ao que está na lei, fazendo com que os tribunais acabem violando os direitos dos cidadãos devido a “uma justiça atrasada, morosa e insensível”.

5.2.11

Em (re)construção!

Queridos leitores:

Boas novas de 2011: o blog Mediação de Conflitos (www.mediarconflitos.blogspot.com) está sendo reformulado e deverá voltar "à ativa" em breve!

Devido ao novo leiaute, algumas alterações inesperadas podem acontecer. Por isso, aqueles leitores que tiverem assinaturas por e-mail e não receberem as atualizações nas próximas semanas deverão visitar a página do blog e inscreverem seus e-mails novamente.

Até o próximo post!