18.12.11

Nunca é tarde para mediar

Neste final de ano, com os melhores votos de felicidades a todos os leitores, deixamos uma mensagem da querida desembargadora Genacéia da Silva Alberton, lida na última reunião do Núcleo de Estudos de Mediação da Escola Superior da Magistratura da Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (ESM-AJURIS):
“NUNCA É TARDE PARA MEDIAR
O final de ano coloca as pessoas em correria. As lojas e ruas dão sinais de um período especial, o ciclo do Natal. Confraternizações se multiplicam, viagens se realizam, aproximações acontecem.
Para os que estão em conflito, ainda há tempo. A mediação é possível. Embora a descrença na possibilidade de reconstrução de elos e reatamento de diálogo, acreditar em uma forma de atendimento de conflito fora da proposta do processo é possível. Vale a pena investir na mediação.
A mediação tem como característica a voluntariedade. Por isso, quando as pessoas admitem a possibilidade da mediação já deram um passo decisivo à composição e passam a serem artífices, construtores da paz. Na mediação, os participantes, mediador e mediandos, reconstroem as experiências a partir do existente, na perspectiva de novas tramas, na busca de um consenso.

3.11.11

30.9.11

Lederach e a Transformação de Conflitos

Finalizou ontem (29/09) o seminário “Modelo de Transformação de Conflitos” de John Paul Lederach, realizado em Buenos Aires, Argentina. O professor de Construção de Paz Internacional da Universidade de Notre Dame (EUA) expôs vários aspectos relevantes, entre eles, a diferença básica entre resolução e transformação de conflitos. A primeira abordagem se centra no conteúdo do conflito, de forma mais imediata, e procura conseguir uma solução para o problema que gera a crise. A transformação, por sua vez, foca-se não só no conteúdo (imediato), mas também no contexto relacional (questões de poder, identidade, padrões de comunicação) e busca promover processos de mudança construtiva a médio e longo prazos.

29.8.11

I Congresso Internacional de Mediação de Conflitos em Sergipe

Fonte: Ascom Dupla Comunicação & Eventos

Acontecerá no período de 14 a 16 de Setembro, o I Congresso Internacional de Mediação de Conflitos: da teoria à prática. O evento é uma realização do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe - TJ/SE com a Universidade Federal de Sergipe - UFS, tendo o apoio do Conselho Nacional de Pesquisa - CNPq, Instituto Brasileiro de Direito da Família - IBDFAM, Instituto Latinoamericano de Derecho del Trabajo y de la Seguridad Social - ILTRAS, Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação Tecnológica - FAPITEC.

Esse evento visa incentivar a utilização da mediação como instrumento de evolução da sociedade - por meio de uma pedagogia que emancipa o homem e resgata uma cultura de paz - apresentando modelos de sucesso, técnicas e aspectos jurídicos da mediação em nosso país e no exterior.

28.8.11

Medo do desconhecido

Foto de Pixar Animation Studios
Existe um famoso curta-metragem da Pixar Animation Studios que representa uma maravilhosa metáfora sobre a percepção (e aceitação) das diferenças (ver vídeo abaixo). A animação, intitulada “Day & Night”, trata do encontro do Dia com a Noite. No início, esse encontro é marcado por desconfiança frente ao desconhecido “Outro”, mas, à medida que a suspeita de vai se transformando em curiosidade, eles descobrem que essa nova amizade pode proporcionar-lhes uma enriquecida perspectiva sobre o mundo. Esse curta também pode ser visto uma metáfora da própria aceitação da Mediação de Conflitos por outras áreas mais tradicionais (como o Direito, por exemplo). Que tal sermos mais abertos ao novo e ao desconhecido?

14.8.11

Modelo Narrativo: a Mediação ajudando a contar novas histórias

O simpático casal Sara Cobb e Carlos Sluzki em B. Aires 
Finalizou no sábado (13/08) o programa internacional “O Modelo Circular Narrativo e os Sistemas Familiares”, na área de mediação familiar, ministrado por Sara Cobb e Carlos Sluzki, com a participação de Francisco Diez e Margarita Solari. Havia, também, Coordenadores Acadêmicos que auxiliaram os participantes, dentre os quais se destaca Marines Suares, cujos livros ajudaram a difundir o modelo circular narrativo na América do Sul. O curso, que ocorreu em Buenos Aires, teve 250 participantes, a grande maioria da Argentina, mas também do Chile, da Colômbia, do Equador e 26 pessoas do Brasil. Foi uma grande oportunidade de atualização sobre um dos modelos mais estudados nos cursos de Mediação de Conflitos. Abaixo um breve resumo do que foi apresentado no evento.

Lederach em Buenos Aires em setembro

Jonh Paul Lederach, conhecido estudioso na área de resolução de conflitos, irá a Buenos Aires em setembro, para uma Conferência (27/09) e um Seminário Intensivo (28 e 29/09, com a participação de Francisco Diez e Alejandro Nató), cujo tema será “O Modelo de Transformação de Conflitos – Enfoques e Ferramentas”. Mais informação abaixo.

9.8.11

Último dia para inscrição no Seminário On-Line

Para aqueles que ainda não fizeram sua inscrição para o seminário on-line “O modelo Circular Narrativo e os Sistemas Familiares”, com os especialistas Sara Cobb e Carlos Sluzki, é bom se apressar, pois as inscrições vão até amanhã (10/08) – vejam mais detalhes aqui e aqui.

O curso abordará os seguintes temas*:

Evento sobre Mediação e Ética em São Paulo

Um convite enviado por Luciana Meirelles, do Instituto Mediativa. Imperdível!


9.7.11

Capacitar Mediadores: Formar, INformar ou ENformar?

A formação dos mediadores é um assunto bastante relevante – e, infelizmente, preocupante – na prática dessa atividade em nosso país. Muitas pessoas ainda acham que sabem mediar, quando na realidade estão conciliando e aconselhando; outras imaginam que fazendo um cursinho de final de semana ou de poucas horas poderão se tornar mediadoras, sendo que isto está longe da realidade. No dia 29 de junho a problemática da formação dos mediadores – e suas implicações na área profissional e pessoal – foi abordado no Grupo de Estudos sobre Mediação do Instituto dos Advogados do Rio Grande do Sul (IARGS). Abaixo, é possível acessar uma síntese esquemática do tema, na qual foi realizada uma comparação entre as diretrizes do Conselho Nacional das Instituições de Mediação e Arbitragem (CONIMA) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) com relação à formação teórico-prática dos mediadores.

7.7.11

Publicações sobre Mediação de Conflitos e Direitos Humanos

Mais uma iniciativa digna de nota na semana de aniversário do site Mediar Conflitos! O Gabinete de Assessoria Jurídica às Organizações Populares (GAJOP) - entidade da sociedade civil de promoção e defesa dos Direitos Humanos, criada no Recife (Pernambuco) em 1981 - elaborou uma série de interessantes publicações a respeito de Direitos Humanos e Mediação de Conflitos, disponíveis em arquivo “pdf”. Veja abaixo alguns títulos:

4.7.11

No aniversário de Mediar Conflitos quem ganha presente são os leitores!


O site Mediar Conflitos completa cinco anos nesta semana, que vem cheia de novidades. A primeira é realização de um curso (presencial e on-line) imperdível para quem atua na área de Mediação Familiar: “O modelo Circular Narrativo e os Sistemas Familiares”, com os especialistas de primeira linha Sara Cobb e Carlos Sluzki (veja detalhes abaixo). Para os interessados já irem se “aquecendo”, separamos um artigo especial sobre o Modelo Circular Narrativo, que poderão ler na íntegra e fazerem o download através do link fornecido adiante.

2.5.11

Vídeo sobre Mediação de Conflitos e Não-Violência Ativa

O site da instituição Vida e Juventude (ver link abaixo) contém uma série de vídeos a respeito dos principais tópicos sobre mediação de conflitos: diferenças entre os meios de tratamento de conflitos, o papel do mediador, as etapas do processo de mediação, entre outros. Destaca-se o Capítulo 2, “Não-violência ativa”, que aborda a prática defendida por um dos advogados mais humanitários que o mundo já conheceu: Gandhi.

17.4.11

Oportunidade única!

Chegou o momento de debater sobre a mediação no novo Código de Processo Civil (CPC)! Até o dia 12 de maio qualquer pessoa pode contribuir sobre os 1.007 artigos propostos no novo CPC, entre eles, os arts. 144 a 153, que tratam dos conciliadores e dos mediadores judiciais. A iniciativa, de acordo com o Ministério da Justiça, é produzir uma discussão aberta e democrática, qualificando o debate e ampliando a participação da sociedade na elaboração legislativa.

8.4.11

Uma pausa... Uma perda...

Rosemari Seewald no I Congresso Brasileiro de
Mediação Judicial
Às vezes temos que parar. Parar porque os acontecimentos inesperados nos chocam. Parar para refletir sobre a vida e sobre aqueles que já não estão entre nós. No dia 07/04 o Rio Grande do Sul perdeu uma de suas grandes mediadoras de conflitos, Rosemari Seewald, idealizadora da OSCIP Desatando Nós e Criando Laços. Abaixo, uma de suas mensagens preferidas:

6.4.11

I Congresso Mundial à Distância de Métodos Apropriados de Resolução de Conflitos


Ocorrerá nos dias 17 a 21 de março o I Congresso Mundial à Distância de Métodos Apropriados de Resolução de Conflitos. A proposta, vinda de uma comunidade virtual de língua espanhola, é gerar reflexões, formular perguntas que estimulem a pensar e redefinir os modelos e ferramentas que são utilizados na prevenção, gestão e transformação dos conflitos, como criadores de valor e facilitadores da paz na “era digital” (veja mais detalhes abaixo).

3.4.11

A mediação judicial e o novo Código de Processo Civil

Notícia veiculada na mídia afirmava que o governo iniciaria um debate público pela internet sobre a reforma do Código de Processo Civil (CPC) no final de março. O debate ainda não iniciou, mas todos os interessados em mediação e conciliação devem desde já ficar atentos, pois uma das mudanças propostas no novo CPC é a inclusão (oficial) dos mediadores e conciliadores como auxiliares da justiça e existem alguns dispositivos polêmicos a respeito. A fim de enriquecer o futuro debate online no site do Ministério da Justiça, do qual tenho certeza que todos os interessados leitores do blog Mediar Conflitos participarão, apresentaremos as principais propostas do Anteprojeto do novo CPC em relação à mediação.

26.3.11

Livro digital (gratuito) sobre mediação de conflitos

O Twitter completou cinco anos no início desta semana e, em homenagem a esse poderoso instrumento de transmissão de notícias em tempo real, vamos mencionar um dos “tweets memoráveis” do @mediarconflitos que talvez boa parte dos assinantes (por e-mail) do blog não tenha visto, seja por não terem conta no Twitter, seja por ainda não estarem seguindo-nos por lá (na novíssima página do blog Mediar Conflitos no Facebook também é possível acompanhar os “tweets” de @mediarconflitos)***. Trata-se da referência ao livro digital do mediador Gregorio Billikopf Encina, da Universidade da Califórnia, disponível na versão em inglês e em espanhol (veja os links abaixo).

24.3.11

Novas formas de comunicação

Queridos leitores do blog Mediar Conflitos, cada vez mais procuramos novas maneiras de mantermos contato com vocês e foi pensando nisso que agora estamos também no Facebook. Aqueles que possuem conta nessa poderosa rede social, não deixem de nos fazer uma visita (acessando aqui). Para receberem todas as atualizações do blog diretamente em seus perfis do Facebook, basta clicarem em “Curtir”.

18.3.11

Fala que eu NÃO te escuto

Você é um bom ouvinte? Algumas vezes, em nossas interações diárias, entramos em uma espécie de “piloto automático”, não escutando realmente o que os outros disseram e respondendo com frases feitas. Há um vídeo interessante a respeito (veja abaixo), uma brincadeira filmada por duas pessoas empenhadas em mostrar o quanto as pessoas não ouvem o que os outros têm a dizer. “Opa, tudo bem? A Fazendinha, por favor, eu vou torturar uma idosa lá”, pergunta um dos "atores". E o senhor a quem foi buscada a informação prontamente responde: “Virar a esquerda aqui, é a Fazendinha.” O que isso significa? Será que não ouvimos mais com atenção as outras pessoas?

17.3.11

Primeira Casa de Mediação da Ordem dos Advogados do Brasil é inaugurada

Foto: Guilherme Castelli e Rodney Silva - OAB/RS
Após meses de expectativas, finalmente foi inaugurada em Porto Alegre a primeira Casa de Mediação da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ontem (16/03). O projeto foi idealizado pela Comissão Especial de Mediação e Práticas Restaurativas da OAB do Rio Grande do Sul (CEMPR) e conta com o incentivo do Ministério da Justiça.

O evento foi prestigiado por ilustres representantes do Governo do Estado, Tribunal de Justiça do RS, Ministério Público do Estado, Defensoria Pública do Estado, Tribunal Regional Federal entre outros. Quem abriu o laço da inauguração da Casa foi o Presidente da CEMPR da OAB/RS Ricardo Dornelles, o arcepispo Dom Dadeus Grims, o prefeito de Porto Alegre José Fortunati, o ex-secretário da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça Rogério Favretto, o presidente da OAB/RS Claudio Lamachia e a desembargadora (e grande incentivadora da mediação) Genacéia Alberton.

14.3.11

A subversão da gentileza

Quando abordo o papel dos mediadores em cursos ou palestras sobre o tema, costumo salientar a importância do conhecido “CHA” – Conhecimentos, Habilidades e Atitudes. A pessoa pode ter pós-doutorado em mediação de conflitos, mas se nunca realizou uma mediação, não pode ser considerada mediadora. Da mesma forma, intermediar sem qualquer técnica ou conhecimento dos princípios da mediação a conversa de duas ou mais pessoas não faz de alguém um mediador. É no ponto de equilíbrio entre o conhecimento (teoria) e a habilidade (prática) que reside a mediação. Mas os verdadeiros mediadores são aqueles que refletem conhecimentos e habilidades em suas atitudes cotidianas – e uma dessas atitudes condiz com a gentileza. Ser gentil em nosso país representa quase uma subversão, e por isso é tão interessante.

13.3.11

Mediação de Conflitos – Notícias do Sul – parte 4

Como havia sido divulgado em postagem anterior, uma das cidades do Rio Grande do Sul em que a Justiça Comunitária havia se estabelecido era Passo Fundo. Pois o leitor Marcelino Meleu, que é advogado e professor universitário, enviou um e-mail com mais detalhes a respeito. Como coautor do projeto de execução (selecionado pelo município) e integrante da equipe técnica, Meleu informou que a cidade instalará em breve uma casa no Bairro Záchia, com equipe técnica especializada em mediação de conflitos.

7.3.11

Mediação de Conflitos – Notícias do Sul – parte 3


Casa de Mediação da OAB/RS

Será inaugurada no dia 16 de março a Casa de Mediação, projeto pioneiro de iniciativa da OAB/RS, por meio da Comissão de Mediação e Prática Restaurativas (CEMPR), financiado a partir de um convênio firmado com a Secretaria da Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça.

O projeto tem por finalidade a implementação da Casa de Mediação em Porto Alegre, objetivando contribuir para a democratização do acesso à Justiça, por meio da capacitação de operadores do Direito (e outros profissionais) em mediação e autocomposição de conflitos e de atendimento direto à população. De acordo com o presidente da CEMPR, Ricardo Dornelles, idealizador da proposta, “um dos objetivos da Casa de Mediação é o de preparar o advogado para uma forma mais humanitária e célere de fazer justiça”. Dornelles ainda destacou que o projeto tem como meta criar a cultura, para o advogado e a sociedade, do diálogo e aprofundamento dos temas do conflito.

Mediação de Conflitos – Notícias do Sul – parte 2

Curso de Mediação de Conflitos da Clínica de Psicoterapia e Instituto de Mediação (CLIP)

Uma das instituições mais tradicionais do Rio Grande do Sul em termos de mediação de conflitos iniciará, em abril, mais uma edição do curso “Mediação de Conflitos – Novo Paradigma à Construção da Paz”, reconhecido pelo INAMA/RS, filiado ao CONIMA (Conselho Nacional das Instituições de Mediação e Arbitragem). Após a conclusão do módulo teórico, o aluno poderá realizar o módulo prático local credenciado pela instituição. Para mais informações, veja abaixo.

Mediação de Conflitos – Notícias do Sul (ATUALIZADO)

Abaixo alguns eventos de Mediação de Conflitos dos quais tenho o privilégio de participar ou de conhecer os organizadores:

a) Núcleo de Estudos de Mediação da Escola Superior da Magistratura da Associação dos Juízes do Estado do Rio Grande do Sul (ESM – AJURIS)

No dia 30 de março (e não mais no dia 16/03, como havia sido divulgado anteriormente) reiniciarão as reuniões do Núcleo de Estudos, que há mais de seis anos integra profissionais de várias áreas interessados na mediação de conflitos.

  • Coordenadores: Desa. Genacéia Alberton e Dr. José Luiz Bolzan de Moraes.
  • Horário: 17h30min.
  • Local: sala 504 – 5º andar - ESM – rua Celeste Gobbato, 229 – Porto Alegre – RS.
  • Tema: Planejamento das atividades do Núcleo de Mediação de 2011

1.3.11

Curso Online sobre Análise do Conflito

O Instituto da Paz dos Estados Unidos (USIP – United States Institute of Peace) está promovendo um curso online gratuito sobre a Análise do Conflito, que pode acrescentar conhecimentos em especial àqueles que se interessam pela mediação de conflitos internacionais. O curso, disponível em inglês e espanhol, apresenta uma introdução ao tema da análise do conflito, ilustrando as ferramentas de análise utilizadas, com referência a dois estudos de caso, o conflito em Kosovo e o genocídio em Ruanda.

21.2.11

Novidades no blog!

Queridos leitores,

Como vocês devem ter percebido, o blog Mediar Conflitos foi reformulado e ganhou um novo endereço: www.mediarconflitos.com. Agora, apenas a parte inicial das postagens será encaminhada por e-mail para os assinantes e, caso vocês gostem (esperamos que sim!), basta clicar no link “Leia o texto completo” e vocês serão direcionados ao nosso site. Essa visita é muito importante, pois assim vocês poderão acompanhar sistematicamente todas as novidades que preparamos:

20.2.11

A mediação na TV

A mediação de conflitos ingressou nas séries de televisão. Há um mês estreou “Fairly Legal” no canal norte-americano USA Networks (ver vídeo abaixo), uma história sobre Kate, advogada frustrada com o sistema legal que resolve se tornar mediadora. Essa nova profissão representa o diferencial do programa.

Michael Sardo, criador da série, revelou que escolheu o tema da mediação pelas experiências vividas por seus amigos que estavam se divorciando: “Todos começavam de forma amigável, sabendo que se tratava apenas de dividir as coisas e que não haveria problema. No entanto, em algum ponto da separação, no momento em que entravam os advogados, era guerra”. Então, quando viu alguns casais se divorciando com mediadores, conseguindo conversar e encontrar soluções, Sardo começou a se interessar pela mediação.

Para os que não esperam questões muito aprofundadas sobre o tema, “Fairly Legal” pode ser um bom entretenimento. Entretanto, alguns aspectos chamam a atenção quanto ao contexto da mediação e ao desempenho da mediadora.

11.2.11

O crescimento do campo da Mediação


Lembro quando iniciei este blog e o outro, “Gestão de Conflitos Familiares”, em 2006, como eram raras as notícias sobre mediação de conflitos no Brasil. Eu tinha que traduzir as notícias vindas de outros países para postar nos blogs. Com o tempo, no entanto, para minha grata surpresa, o assunto “mediação” foi crescendo e hoje é rara a semana que não tenha algum evento envolvendo essa prática em nosso país.

Na área acadêmica, o interesse pela mediação também vem aumentando e são elaborados trabalhos muito interessantes sobre o tema. A leitora Ana Lucia Prado Catão deixou um comentário na postagem “A sensibilidade de nossos juízes” no qual compartilha um link (ver abaixo) para a sua dissertação de mestrado, intitulada “Mediação e Judiciário: problematizando fronteiras psico-jurídicas”, ressaltando o respeito aos direitos autorais.

10.2.11

A sensibilidade de nossos juízes


O Observatório Permanente da Justiça Portuguesa (OPJ), do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, considerou que a legislação sobre o divórcio tem tido sua aplicação complicada por culpa da má formação dos magistrados, sobre questões estruturais da sociedade e do sistema jurídico.

De acordo com o diretor científico do OPJ, Boaventura de Sousa Santos, “os magistrados refugiam-se em interpretações positivistas e burocráticas e não olham para as pessoas e apenas para a lei”. Acrescenta, ainda que “os tribunais tornam-se parte do problema e não da solução e correm o risco de serem agentes violadores do direito”, afirmando que os juízes fixam-se ao que está na lei, fazendo com que os tribunais acabem violando os direitos dos cidadãos devido a “uma justiça atrasada, morosa e insensível”.

5.2.11

Em (re)construção!

Queridos leitores:

Boas novas de 2011: o blog Mediação de Conflitos (www.mediarconflitos.blogspot.com) está sendo reformulado e deverá voltar "à ativa" em breve!

Devido ao novo leiaute, algumas alterações inesperadas podem acontecer. Por isso, aqueles leitores que tiverem assinaturas por e-mail e não receberem as atualizações nas próximas semanas deverão visitar a página do blog e inscreverem seus e-mails novamente.

Até o próximo post!